Evangelho do dia

Ouvindo, pois, Abrão que o seu sobrinho estava preso, armou os seus criados, nascidos em sua casa, trezentos e dezoito, e os perseguiu até Dã”. Gênesis 14:14

QUANDO O SUBESTIMADO VENCE

Todos nós conhecemos a história do subestimado. O menor, o mais fraco e o menos talentoso vencendo o impossível. Essa ideia chama a nossa atenção em todos os lugares, dos romances e filmes até na vida real, pense nas histórias de sucesso. Tem algo especial em ver aquele que é subestimado ser derrubado várias vezes e ganhar no final.

Abraão era a definição de uma pessoa subestimada. Ao saber que o seu sobrinho, Ló, foi sequestrado, Abraão decidiu agir. Com menos pessoas ao seu lado e as chances contra ele, ele segue para uma missão de resgate. Era uma situação extraordinária que precisava de grande coragem e altruísmo. E, ainda assim, Deus o abençoa com uma grande vitória. Ele consegue resgatar Ló e outros cativos, e consegue todos os bens que os foram roubados durante o conflito.

Abraão sabe que a vitória é de Deus e imediatamente dá o devido crédito. Abraão sabia que ele conseguiria?  De modo algum. Ele agiu com fé e Deus ajudou. Veja, Deus tinha prometido abençoar a Abraão quando ele se rendesse ao chamado para seguir a vontade de Deus, abençoa-lo para ser uma benção para os outros. Nesse caso, Ló e os outros cativos foram os que receberam a sua bênção.

Mas, e nós? Às vezes, também somos chamados para agir com grande coragem e altruísmo. Às vezes somos chamados para defender o subestimado. E, às vezes, somos chamados para agir quando nós somos os subestimados.

Você vê uma situação em que você poderia agir, sabendo que poderia acabar com a sua carreira ou reputação? Não importa quão improvável sejam as chances, quando é para fazer a vontade de Deus, a sorte está sempre em seu favor com Cristo. Não importa o resultado, a maior vitória já foi dada, uma vitória eterna. Com Cristo, o subestimado na vida sempre vence no fim.

 

 

Imprimir