Devocional Diário

 Quando o faraó soube disso, procurou matar Moisés, mas este fugiu e foi morar na terra de Midiã. Ali assentou-se à beira de um poço… Moisés aceitou e concordou também em morar na casa daquele homem; este lhe deu por mulher sua filha Zípora. Ela deu à luz um menino, a quem Moisés deu o nome de Gérson, dizendo: “Sou imigrante em terra estrangeira”.  Êxodo 2:15, 21-22

COMO VOCÊ RESPONDE QUANDO A VIDA APRESENTA UM DESVIO?

Por 40 anos, Moisés viveu no deserto como um fugitivo, fugindo da única vida que ele conheceu, como neto adotivo de Faraó. Mas isso não importava mais. Ele havia matado um homem – um egípcio. E por causa dessa única ação, Moisés perdeu tudo. Essa decisão lhe custaria 40 anos no deserto.

Você já experimentou o que parece ser um desvio inesperado na vida? Estes desertos ou temporadas desafiadoras podem ter origem nas consequências de nossas próprias ações, nosso pecado. Este foi o caso de Moisés. Outras vezes, nós experimentamos essas estações por causa das ações e pecados de outros. Jesus indo para a cruz como um homem inocente é o exemplo supremo de sofrimento gerado devido aos pecados de outros. Mas os tempos de deserto também podem ocorrer simplesmente porque são a vontade de Deus naquele momento e Deus quer moldar-nos e preparar-nos para algo no futuro. Jesus também experimentou este terceiro tipo de deserto quando o Espírito Santo O conduziu a uma estação de testes onde Jesus tinha uma escolha: confiar em Deus até a cruz ou reivindicar o poder mundano que o diabo oferecia. Jesus escolheu confiar em Deus.

Um “desvio” súbito ou uma experiência de deserto sempre nos oferece uma escolha de como responder. Será para o bem ou para o mal? Permitiremos que Deus ande conosco nesta temporada? Será que vamos nos aproximar dele ou crescer em amargura? Iremos nos ressentir de Deus ou permitir que Deus modele e forme nosso caráter no processo? A verdade é que as estações do deserto são inevitáveis. Mas todos nós temos uma escolha em como vamos responder. Portanto, seja a morte de um ente querido, sérias dificuldades financeiras, desgosto e rejeição, ou incontáveis outras provações e dores – lembre-se que, não importa o que aconteça, Deus AINDA pode fazer um grande trabalho em nossas vidas se permitirmos e confiarmos Nele.

Imprimir