QUANDO FORÇA PARECE FRAQUEZA

24 de agosto de 2020

 “Mas ele me disse: “Minha graça é suficiente para você, pois o meu poder se aperfeiçoa na fraqueza”. Portanto, eu me gloriarei ainda mais alegremente em minhas fraquezas, para que o poder de Cristo repouse em mim. Por isso, por amor de Cristo, regozijo-me nas fraquezas, nos insultos, nas necessidades, nas perseguições, nas angústias. Pois, quando sou fraco é que sou forte.” – 2 Coríntios 12:9-10

A fraqueza é uma grande fraqueza em nossa sociedade. Ninguém quer parecer fraco, ser frágil, admitir ou revelar suas falhas. Da força física, à perspicácia para os negócios, há algo em ser forte, confiante e estar no controle que resulta em sucesso. Então, como o apóstolo Paulo pode “se contentar com as fraquezas?” Como ele pode se gabar de suas falhas? Uma coisa é certa, nós somos ensinados a esconder nossas falhas. Então, isso simplesmente não faz sentido.

A Bíblia define o chamado para seguir Jesus como vivendo pela fé (Efésios 2: 8-9). Isso significa optar por renunciar ao controle. Significa reconhecer que necessitamos de outra pessoa. Significa admitir que não podemos fazer isso sozinhos. Viver pela fé significa confiar em alguém que não seja nós mesmos.

Alguns podem estar pensando: Isso parece muito com fraqueza, não coragem. Afinal, as pessoas mais corajosas não precisam de ninguém, certo? Não de acordo com a palavra de Deus. A Bíblia diz que viver pela fé exige uma força muito maior que a nossa. Pense nisso: não é verdade que é preciso muita fé para admitir que você precisa de ajuda, que não pode fazê-lo sozinho?

Em Josué 1:9, Deus desafia Josué a “ser forte e corajoso” diante do medo e da dúvida. Nesse caso, Deus não está falando em se tornar fisicamente mais forte e se esforçar para ser mais corajoso do que todos os outros. Ser forte e corajoso é reconhecer sua necessidade de Deus e depositar sua fé na força de Deus. O mesmo é verdadeiro para nós. No final, as coisas nunca deveriam ser a respeito de nossa força individual, mas em escolher confiar na força de Deus. Trata-se de confiar em um Deus que tem força, mesmo quando nos sentimos fracos.

Adaptado de um sermão de George Wright, Pastor Sênior da Igreja Batista Shandon, Carolina do Sul