Devocional Diário

“Tendo em vista o que eles fizeram (Ninivitas) e como abandonaram os seus maus caminhos, Deus se arrependeu e não os destruiu como tinha ameaçado. Jonas, porém, ficou profundamente descontente com isso e enfureceu-se.” – Jonas 3:10-4:1 

JONAS: APRENDENDO A AMAR O “INIMIGO” 

Se você cresceu em uma igreja a história de Jonas é bastante comum. Deus chamou Jonas para ir e pregar na maior, mais malvada e moralmente falida cidade daqueles dias – Nínive. Como um inimigo bem conhecido de Israel e, francamente, um povo terrivelmente cruel, Jonas não se animou. Então ele pulou em um barco e fugiu na direção oposta. Não deixe de ler a história completa (Jonas 1-4) para obter todos os detalhes de como Jonas aprendeu da maneira mais difícil que você não pode vencer Deus.

Mas vamos nos concentrar no começo da história: o chamado de Deus para que Jonas ajudasse um inimigo conhecido. Jonas não só ficou aterrorizado com a ideia de aparecer na porta deles devido à sua reputação, como também era orgulhoso de ser israelita. E, como tal, a última coisa que ele queria fazer era ajudar um inimigo conhecido. Seria como um pastor americano após o 11 de setembro viajar para o Afeganistão para compartilhar o Evangelho de Cristo com o Talibã; ou um judeu-americano indo para a Alemanha nazista durante a Primeira Guerra Mundial com uma mensagem de esperança e arrependimento em Jesus Cristo. Isso simplesmente não é uma resposta natural  mas é a resposta de Deus.

O que Deus estava ensinando a Jonas – e a todos nós hoje – é que o amor, a esperança e a redenção encontrados em Jesus Cristo estão disponíveis para TODOS, independentemente de seu passado. Está disponível para um profeta rebelde cujo orgulho nacionalista atrapalhou a obediência a Deus e para uma cidade inteira que cometeu inúmeras atrocidades. Esse mesmo amor está disponível para você e para mim. Por quê? Porque “enquanto ainda éramos pecadores, Cristo morreu por nós” (Romanos 5: 8).

Agora, vamos avançar para os dias de hoje. A sociedade está mais dividida do que nunca; as conversas parecem ter um colapso antes mesmo de começar. Já se pensa no pior e, em vez de ouvir com uma postura de aprender e acreditar no melhor um do outro, os canais de comunicação são fechados. Acha que estou exagerando? Junte uma família com opiniões políticas ou sociais opostas em volta da mesa e veja o que acontece. Muitas vezes, o que ocorre é fuga ou raiva.

Mas, se quisermos superar essa divisão, precisamos começar a ouvir um ao outro. Isso não significa sempre concordar, mas respeitar e amar um ao outro como um filho de Deus. Por que me preocupar, você pode se perguntar? Porque Deus não é um Deus de UMA nação, UMA cultura ou UM partido político. Deus é para TODOS: toda tribo, língua e nação (Apocalipse 7:9).

E no momento em que julgamos o outro como sendo mais merecedor do julgamento de Deus do que nós mesmos, é o momento em que, como Jonas, começamos a fugir de Deus em vez de caminhar com Deus. Se você está lutando para amar aqueles que são diferentes ou compartilham visões de mundo diferentes, comece pedindo a Deus olhos para vê-los como Ele vê – filhos em potencial de Deus, a quem Ele ama.

  

Imprimir