Devocional Diário

 “Bem-aventurados são (felizes são) os que têm fome e sede de justiça, pois serão satisfeitos.” – Mateus 5:6 

Felicidade não é… 

Segundo Jesus, a satisfação é encontrada por aqueles que têm fome e sede de justiça. Mas, o que significa ter fome e sede de justiça? Primeiro, vamos ver o que NÃO é. Ter fome e sede de justiça não é:

  1. Ganhar salvação. – Tentando o máximo possível fazer o bem para que possamos nos considerar bons o suficiente para ser aprovado. Por que não? A Bíblia diz que é impossível. Não há ninguém justo – nem uma só pessoa.
  2. Manipulando Deus para conseguir o que queremos. – Como estou tentando o máximo para fazer a coisa certa, Deus deve me retribuir com os desejos do meu coração. Isso é karma. Isto não está na Bíblia. Em nenhum lugar da Bíblia está escrito que Deus ajuda aqueles que se ajudam. Ao invés disso, ela diz que Deus ajuda aqueles que reconhecem que estão desamparados.

A fome e a sede de justiça estão enraizadas e fundamentadas na graça. É o mesmo que dizer: provei e vi que não há nada neste mundo que se aproxime do que Deus me deu gratuitamente em Cristo Jesus. Não tem nada a ver com meu desempenho ou o que eu alcancei. Mas tem tudo a ver com saborear e apreciar o que foi dado gratuitamente.

Isaías 55:1 diz, “Venham, todos vocês que estão com sede, venham às águas; e vocês que não possuem dinheiro algum, venham, comprem e comam! Venham, comprem vinho e leite sem dinheiro e sem custo.”

Este é o rico alimento da graça. Não pode ser comprado. Só pode ser recebido livremente.

É reconhecer quem somos em nossa necessidade de um Salvador. É entender a graça e a misericórdia que nos são derramadas generosamente sobre nós. É ver e saborear o que Deus fez por nós em Cristo Jesus. Eu não sei sobre você, mas é isso que eu quero. Este é o desejo da minha vida. Andar na graça e misericórdia extravagantes do meu amoroso Salvador!

A satisfação encontrada na dádiva de Jesus Cristo e em Sua justiça é algo de outro mundo. É a única coisa que realmente satisfará os desejos mais profundos do nosso coração.

 

Imprimir