Devocional Diário

Vocês ouviram o que foi dito aos seus antepassados: "Não matarás’, e ‘quem matar estará sujeito a julgamento". Mas eu lhes digo que qualquer que se irar contra seu irmão estará sujeito a julgamento. Também, qualquer que disser a seu irmão: ‘Racá’, será levado ao tribunal. E qualquer que disser: "Tolo! ’, corre o risco de ir para o fogo do inferno”.   Mateus 5:21-22

A IRA É O MESMO QUE MATAR?

A ira é o mesmo que matar? Certamente não, certo? Mas Jesus diz o contrário, igualando a ira com o assassinato quando se trata da seriedade do pecado. Em outras palavras, não há uma escala quando se trata do pecado: perder a cabeça e matar alguém é a mesma coisa aos olhos de Deus. Mas Jesus sentiu ira, então como a ira pode ser pecado se Jesus nunca pecou? Bem, é um pouco complicado, principalmente quando lemos Efésios 4:26: Quando vocês ficarem irados, não pequem. Então, como podemos entender tudo isso?

  1. A ira justa NÃO É errada. A ira justa é o tipo de ira que Deus e Jesus demonstram na Bíblia. É uma ira que acontece quando Deus não é respeitado, quando se aproveitam dos nossos irmãos, ou quando a injustiça é feita contra os indefesos. Este tipo de ira geralmente parte para a ação. No entanto, se no processo de defender o indefeso NÓS perdemos a cabeça, aquela ira justa de repente se torna errada aos olhos de Deus; ela se torna um pecado.
  2. Perder a cabeça É pecado. Não importa a circunstância, perder a cabeça sempre significa que erramos. Todos nós já dissemos e fizemos coisas por causa do nosso temperamento que nos arrependemos profundamente.
  3. Desprezo pelos outros É pecado. Isto é qualquer sentimento de superioridade, menosprezo ou insulto pelos outros, tudo é pecado.
  4. Chamar nome É pecado. Segundo Jesus, provocar e chamar nome é um pecado igual ao assassinato. Aqui a palavra “tolo” parece com a palavra “idiota”. Você vê a gravidade do que Jesus está falando? A seriedade de uma atitude arrogante e orgulho que leva ao desrespeito de outros não é motivo para risada.

Então o que devemos fazer? Se permitimos a ira entrar no meio de uma relação, se perdemos a cabeça, menosprezamos o outro ou até os chamamos de um nome “inofensivo”, mas depreciativo, precisamos parar e consertar. Confesse a Deus e peça coragem para ir e se acertar com a pessoa com a qual você errou.

Imprimir