SERMOS BONS MORDOMOS – A MANEIRA DE DEUS

16 de maio de 2022

“agradou-se de José e tornou-o administrador de seus bens. Potifar deixou a seu cuidado a sua casa e lhe confiou tudo o que possuía.”  Gênesis 39:4

A vida de José consistiu em estar no lugar mais alto de todos e no mais baixo de todos:

De um dia ser jogado em um poço para morrer – para no outro dia ser elevado a segundo em comando no Egito, a nação mais poderosa da terra.

Podemos nos identificar com José em muitos aspectos, porque todos nós temos altos e baixos. Infelizmente, muitos de nós tendem a negligenciar o Senhor quando as coisas estão indo bem, apenas para retornar a Ele quando estamos em crise.

Quando lemos a história de José, após ser vendido por seus irmãos a alguns comerciantes, ele acaba na casa de Potifar, um líder egípcio. Em pouco tempo, Potifar fez de José “mordomo de toda a sua casa e o encarregou de tudo o que tinha” (Gênesis 39:4).

Agora, quando Potifar o coloca no comando, José começa a prosperar. Não há indicação de que José receba crédito indevido por qualquer coisa, ou que use sua prosperidade para se promover. Ao contrário, ele continua a supervisionar e gerenciar tudo o que Deus, por meio de Potifar, coloca sob seus cuidados.

Um bom doador? O que é isso?

Sermos bons mordomos é um gerente de algo ou alguém que não lhe pertence.

Assim como José foi, cada seguidor de Jesus é chamado para ser um fiel mordomo, ou gerente, de tudo o que Ele nos confiou.

E isso vai muito além da simples gestão do nosso dinheiro. Deus nos confiou muitas coisas. Como cristãos, Deus nos deu dons, talentos e habilidades que devem ser usados para trazer glória a Ele, fazer discípulos e edificar Sua igreja.

Então, como estamos indo?

Pais, Deus nos confiou filhos para criar e ensinar a verdade da Palavra de Deus, modelando para eles o que significa ser um discípulo fiel de Cristo Jesus.

E o que dizer de onde moramos? Estamos convidando os vizinhos, abrindo nossas casas e sendo hospitaleiros, para que possamos compartilhar o amor de Cristo com eles?

Subjacente a tudo isso está o fato de que ser um mordomo implica que nada do que você tem é seu. 1 Coríntios 4:7 diz: “O que você tem que não tenha recebido? E se você o recebeu, por que você se vangloria como se não o tivesse recebido?”

Os dons, talentos e habilidades que você usa foram dados a você por Deus.

Até mesmo a próximo fôlego que você tomar é fornecido pelo Rei de toda a criação. Como você vai usá-lo?

Quando tomamos as coisas que o mundo considera que nos darão status e prestígio – dinheiro, habilidades, poder e as gerenciamos como Cristo deseja que façamos, isso mostra a um mundo incrédulo o valor de Cristo, que Ele é nosso tesouro.

José nos mostra como “sermos bons mordomos” para a glória de Deus.

Faremos o mesmo? Não para outra coisa senão a glória de Deus?

Que assim seja, Senhor.