O CUSTO DO CONFORTO

3 de setembro de 2020

“Bendito seja o Deus e Pai de nosso Senhor Jesus Cristo, Pai das misericórdias e Deus de toda consolação, que nos consola em todas as nossas tribulações, para que, com a consolação que recebemos de Deus, possamos consolar os que estão passando por tribulações.” – 2 Coríntios 1:3-4

Todos nós queremos uma vida confortável. Não queremos nos preocupar com as despesas, queremos ter comida, roupas e as facilidades para tornar a vida, digamos, confortável. E não há nada inerentemente errado em buscar segurança, paz de espírito ou bem-estar. Portanto, quando lemos sobre o “Deus de toda consolação”, é fácil traduzir essa frase no “Deus de meus confortos“. Começamos a pensar que Deus deve ter tudo a ver com tornar nossa vida fácil, segura e protegida.

O problema, no entanto, começa quando nos concentramos mais em buscar uma vida confortável, previsível e “segura”, em vez de buscar a vontade de Deus.  Em pouco tempo, começamos a perder o melhor de Deus para nós. Não acredita em mim? Vejamos dois problemas que a busca por conforto acima de tudo pode causar:

  1. Comparação: Como é uma vida confortável e segura? Bem, depende de onde você olha. O salário que proporciona tranquilidade para uma pessoa pode ser insuficiente para outra. Quanto mais tentamos medir nosso nível de bem-estar e satisfação através de comparações com os outros, mais descobrimos que sempre há alguém com um “fundo de emergência” maior ou com um emprego melhor – vivendo uma vida mais “confortável”. A comparação nos privará de alegrar-nos em nossas bênçãos e provisões.

 

  1. Plano de Deus versus Meus Planos: Deus não chamou os cristãos para terem uma vida de segurança e conforto, mas de fé, sacrifício e risco! Amar e servir verdadeiramente os outros sempre envolve um passo de fé e algum nível de sacrifício – quer seja o seu tempo, finanças ou seu conforto. Sem fé, é impossível agradar a Deus, e passos de fé nos forçam a sair da nossa zona de conforto.

Deus não prometeu uma vida fácil e segura, mas prometeu uma vida de alegria – se escolhermos buscá-Lo em primeiro lugar. Talvez nem sempre saibamos para onde estamos indo ou o que irá acontecer depois, mas podemos confiar que não estamos sozinhos na jornada e que o Deus de toda consolação preencherá os detalhes. Sabendo o quão imprevisível pode ser a vida, essa promessa é bastante reconfortante.

 

Adaptado de um sermão de George Wright Pastor Sênior da Igreja Batista Shandon, Carolina do Sul